Contact | Rua Embaixador Gabriel Landa, 81 | São Conrado  | Rio de Janeiro | Tel: +55 21 3323.3300 | visom@visomdigital.com.br 

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Vimeo Icon
  • White YouTube Icon

Duas Gangues de Capoeira decidem o destino de único Império das Américas

Two Capoeira Gangs decide the fate of the only Empire of the Americas

Gangues do Rio - O Império da Navalha

Gangs of Rio - The Razor Empire

Série Procedural de Ficção | Fictional Period Drama

10 x 50 min.

 

Criado por / Created by: Marco Borges

Baseado na pesquisa de / Based on the research of: 

Carlos Eduardo Libano Soares

Roteiros de / Screenplay by: Marco Borges, Bruno Passeri e Gustavo Rademacher

Produtores / Producers: Visom Digital & Nomadic Films

LOGLINE:

[POR] O ano é 1885. Na cidade efervescente do Rio de Janeiro, duas gangues de capoeira e seus líderes, os capoeiras Marquês e Benjamin, lutam pelo controle das ruas e pelos votos que decidirão as eleições e o destino do Império Brasileiro. .

[ENG] The year is 1885. In the effervescent city of Rio de Janeiro, two capoeira gangs and their leaders, the fighters Marquis and Benjamin, battle for the control of the streets and the votes that will decide the elections and the fate of the Brazilian Empire.

CONCEITO DA SÉRIE / SERIES CONCEPT:

[POR] 

Gangues do Rio - O Império da Navalha, une personagens reais e fictícios numa narrativa atual e instigante ambientada em fins do século XIX. O Império está ruindo, mas a capital não para de crescer. As ruas são habitadas por políticos, comerciantes, negros alforriados, brancos pobres, imigrantes e escravos. O emprego é escasso, milhares se acotovelam em cortiços, as condições são precárias, as epidemias se alastram e o Estado brasileiro tenta se recuperar dos gastos com a Guerra do Paraguai. Os dois principais partidos políticos estão rachados, denúncias de corrupção se proliferam, a polícia está desacreditada. As eleições se aproximam. Em 1885, o Brasil está em convulsão e o Rio de Janeiro, entregue ao deus-dará.

Esse ambiente nutre o crescimento dos grupos de capoeiristas que disputam violentamente as ruas da cidade. Grande parte das “maltas”, como são conhecidos esses grupos, é apadrinhada por políticos que garantem recursos e impunidade aos capoeiras. Numa época em que o voto é aberto, controlar as ruas é controlar o eleitorado. As ruas são um mundo onde cada um luta por si e os laços de fraternidade são determinados pela lei do mais forte. No universo de Gangues do Rio, a violência e a corrupção se sobrepõem a quaisquer valores, ninguém tem apenas um senhor e nenhuma lealdade é eterna. São tempos de guerra.

Com a morte do líder Boca Larga, que controlava a região boêmia de Sacramento, na área central da cidade, o jovem Marquês assume a malta de origem Guaiamu. Sua primeira atitude é se desvincular do apadrinhamento político dos liberais. Marquês é ambicioso, quer dominar mais freguesias e ascender ao poder público pela influência das ruas. Para isso, precisará enfrentar Benjamin, o implacável chefe da malta Flor-da-Gente, de origem Nagoa. Benjamin é o maior capoeira da capital e tido como intocável por conta de sua ligação com o deputado conservador Duque-Estrada Teixeira, uma eminência parda do partido conservador. A Flor-da-Gente domina a nobre freguesia da Glória, a área mais influente da cidade. Mas os tempos estão mudando. Nunca antes desafiado, Benjamin agora tem pela frente um rival novo e imprevisível.

As eleições estão marcadas para o início do ano seguinte, mas a disputa pelos votos já começou. Liberais e conservadores fazem política enquanto as maltas trocam navalhadas. Com a Glória em mãos conservadoras, os liberais correm para garantir as principais freguesias do Centro. Em Sacramento, esbarram nas ambições políticas de Marquês e, em São José, na instabilidade do beberrão Chico Vagabundo, que abre um leilão pelo apoio de sua malta. Quando Chico morre numa briga e deixa São José à deriva, a guerra se torna uma questão de tempo. Uma guerra que transformará o destino do Império para sempre.

[ENG] 

Gangs of Rio – The Razor Empire unites real and fictional characters in a current and instigating narrative set at the end of the 19th century. The Brazilian Empire is crumbling, but its capital, Rio de Janeiro, lives a never ending growth. The streets are occupied by politicians, merchants, freed slaves, poor gentry and immigrants. Employment opportunities are scarce, thousands huddle in tenements, conditions are precarious, epidemics are widespread, and the Brazilian State is trying to recover the expenses of the Paraguay war. The two main political parties are in shambles, allegations of corruption abound and the police force is left adrift. The elections are coming. In 1885, Brazil is in turmoil and faith of Rio de Janeiro is in God’s hands.

This environment propels the growth of capoeira fighting, a Brazilian Martial Art, which, during this period, is violently used by gangs to battle for the control of the city. Most of the maltas, as these gangs are called, are sponsored by politicians who see to their needs for resources and impunity. In a time when voting is not secret, controlling the streets means controlling the constituency. The streets are a world where each one fights their own war and their ties to their brotherhoods are determined by force. In the universe of Gangs of Rio, violence and corruption trump all virtues. No one has a single master, no loyalty is eternal. These are times of war.

With the death of the leader Boca Larga, who controlled the bohemian district of Sacramento, in the central area of the city, the young Marquis takes on the malta of the “Guaiamu”. His first act is to disassociate himself from the political patronage of the liberals. Marquis is ambitious and wants to control more territories, ascending to politics through his popularity in the streets. To do so, he will have to face Benjamin, the relentless boss of the “Flor-da-Gente” malta, of the “Nagoa”. Benjamin is the greatest capoeira fighter in town and an untouchable because of his connections to the conservative deputy Duke Estrada, a strong figure of power for the conservative pardo (mixed-race) population. “Flor-da-Gente” dominates the noble district of Gloria, the most influential area of the city, but times are changing. Never before has Benjamin faced such an unpredictable rival.

Elections are scheduled for the beginning of next year, but the ballot race has already begun. Liberal and Conservative Parties make politics while maltas flail their straight razors at each other. With the conservative running the district of Gloria, the liberals run to secure the main districts of the Downtown area. In Sacramento, they run into the political ambitions of Marquis. In São José, there is the instability of the drunkard Chico Vagabundo, who is auctioning the support of his malta. When Chico dies in a fight and leaves the district of São José adrift, war becomes a matter of time. A war that will change the fate of the Empire forever.

LINGUAGEM AUDIOVISUAL / VISUAL LANGUAGE:

[POR] 

Gangues do Rio - O Império da Navalha é uma série histórica de narrativa atual, repleta de ação e drama. As principais referências são produtos como Cidade de Deus (2002), Gangs of New York (2002) e Peaky Blinders (2013).

Os dados históricos e o compromisso com o real vão orientar o production design de alto valor agregado da série. As cenas de luta, um elemento vital de Capoeira, terão aspecto menos coreografado, mais "sujo" e espontâneo, acrescentando uma camada de realismo ao jogo bruto dos capoeiras. Diferentemente da luta plástica que conhecemos hoje, a capoeira das ruas no século XIX era briga e sobrevivência. A partir de consultoria especializada, Gangues do Rio fará uma espécie de arqueologia da capoeira para trazer esse tipo de ação para a narrativa da forma mais realista possível.

A sonoridade de Gangues do Rio será marcada pela diversidade de texturas da cidade, ampliando a experiência sensorial do espectador. As músicas serão ritmos fortes instrumentais da periferia do Rio, como o Funk e o Hip-Hop, para estabelecer um diálogo entre a atmosfera da época e a música contemporânea. Filmes como Maria Antonieta (2006), que mistura Indie Rock à França do século XVIII, ou The Knick (2014), que mescla músicas eletrônicas sobre a Nova York de 1900, são bons exemplos de como Gangues do Rio busca uma aura pop em sua linguagem.

Gangues do Rio apresenta uma visão única sobre o que é o Brasil, mostrando de forma realista e contemporânea um mundo novo pronto para ser descoberto pelo grande público

 

[ENG] .

Gagns of Rio – The Razor Empire is a period drama filled with action and intrigue. Some of our references are; City o God (2002), Gangs of New York (2002) and Peaky Blinders (2013).

The historical data and the commitment to accuracy will guide the series highly-valued production as well as our research of the history of capoeira in the XIXth century. Unlike the visually enticing martial art form that we know today, capoeira was a means for survival, kill or be killed. The series is based on an anthropological studies on the history of Capoeira and the Afro-Brazilian origins of this fighting style consigned in a book by Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares a Professor of History and Archeology of the UFRJ - Federal University of Rio de Janeiro. “A Negregada Instituição” For this reason the fight scenes will have a less choreographed feel, in favor of a more spontaneous and dirty appearance, which will help adding an extra layer of realism to the brute play of the capoeira in that era. Imagining Gangs of New York (2002) and The Raid: Redemption (2014). The soundscapes of Gangs of Rio will be marked by the diversity of textures of an urban environment, capable of amplifying the immersion of the viewers.

The songs will be the rhythms found today in the outskirts of Rio, such as Brazilian Funk, Samba and HipHop. This helps establish a dialogue between the atmosphere of the XIXth century and our local and contemporary reality. Movies like Marie Antoinette (2006), which mixes indie rock with XVIIth century France, or The Knick (2014), which mixes electronic music over early XXth century New York, are good examples of how Gangs of Rio will develop its pop aura and language over a XIXth century universe.

The series uses local characteristics and particularities of the XIXth century to present a unique vision of Brazil. Gangs of Rio shows a brutal and contemporary land of exceptions in a realistic way. This is a new and unknown world ready to be discovered by the general public.

CONTEXTO HISTÓRICO / HISTORIC CONTEXT: Por / By - Carlos Eugênio Líbano Soares.

[POR] 

Entre 1822 e 1889 houve um Império nos trópicos e sua capital era o Rio de Janeiro. O Brasil era uma monarquia parlamentar onde o Imperador chefiava os poderes “moderador” e “executivo”. O poder legislativo ficava a cargo do parlamento e a política da época do Império era marcada por três correntes políticas: os liberais, os conservadores e os republicanos.

Os liberais estavam ligados às idéias mais avançadas da elite européia. Reconheciam os direitos das mulheres, defendiam a iniciativa privada e o trabalho assalariado. Ser liberal era defender o parlamento e a representação eleitoral. Já os conservadores eram nacionalistas dentro de uma sociedade violentamente cosmopolita. Ser conservador era defender a sociedade rural e a monarquia. Os republicanos, por sua vez, defendiam a separação entre público e privado, a participação política pelo voto, a meritocracia, o ensino, a educação e o combate à corrupção. Para o republicano, os capoeiras representam o mal social, tanto pelos preconceitos sociais e raciais quanto pela ligação com os conservadores.

Nesse incendiário panorama político, a capital se via em convulsão social. A cidade era suja, fétida e mortal, estava superpovoada, faltava água, a febre amarela matava milhares e a tuberculose era ainda mais devastadora. Além disso, a corrupção na polícia deixava a sensação de absoluta insegurança à população. Com eleições marcadas para 1885, a capital se torna um caldeirão fervente prestes a entornar. Liberais e conservadores disputavam cada polegada do espectro político com unhas e dentes, num processo que chegava às ruas através da luta pelo controle dos redutos eleitorais. Não havia rua sem dono porque as maltas reivindicavam cada esquina da cidade.

Essas maltas controlavam as ruas das freguesias que dividiam a cidade, vendendo proteção para comerciantes e moradores, um domínio territorial que chamava a atenção dos políticos. Assim, o capoeira passou a fazer parte do mundo da política, ou melhor, do submundo da política, atacando oposicionistas, comprando e falsificando votos, intimidando eleitores. Todos os capoeiras do Rio estavam, de uma forma ou de outra, envolvidos na política. Os capoeiras viviam de vender violência, e os políticos pagavam bem. Sempre de posse de navalhas, viviam prontos para briga. Seu estilo de vida era mais importante que suas posses. Um bom paletó, sapato e chapéu eram o suficiente pro capoeira que vivia na boêmia e na luta. Suas atribuições com a malta tinham a ver com uma noção de fraternidade, onde um defendia o outro às últimas conseqüências. Os capoeiras não eram apenas os músculos dos políticos; eles decidiam, de fato, o futuro do Império.

A unidade básica da capoeira era a malta: formada por cerca de 30 indivíduos que dominavam partes da cidade. As maltas eram formadas majoritariamente por homens livres e escravos. Todas as etnias e nacionalidades se encontravam nas maltas, que se dividiam em dois grupos, inimigos mortais: Nagoas e Guaiamus. Os Nagoas eram associados aos conservadores, ligados à tradição africana e seus membros eram predominantemente negros livres e escravos. Eles tinham a cor branca como identificação e dominavam a periferia da Cidade Velha: Lapa, Glória e Campo de Santana.  Os Guaiamus eram seus rivais associados aos liberais, de uma tradição que encampa pardos e brancos, em sua maioria imigrantes. A cor que os identificava era o vermelho. Eles dominavam a parte de dentro da Cidade Velha: Santa Rita, São Domingos, Largo de São Francisco e Sacramento. O Brasil tinha um Imperador, mas quem reinava nas ruas  eram os capoeiras.

[ENG]

Between 1808 and 1889 there was an Empire in the tropics and its capital was Rio de Janeiro. Brazil was a parliamentary monarchy where the Emperor had the powers of management and execution. Legislative power was in charge of parliament, and the empire-era politics was marked by three political parties: the Liberal, the Conservative, and the Republican parties.

The Liberals were connected to more advanced political ideas of the European elite. They recognized the rights of women, defended the private initiative and wage labor. To be liberal was to defend parliament and electoral representation. The Conservatives were nationalists within a violently cosmopolitan society. To be conservative was to defend the rural society and the monarchy. The Republicans, in turn, advocated the separation of the public and private sectors, political action by voting, meritocracy, education and the fight against corruption. For the Republicans, the capoeira fighters, simply called capoeiras represented a social evil, not only because of the racial and social prejudices, but also due to their connections to the conservative party. 

In this incendiary political panorama, the capital was in a social upheaval. The city was dirty, smelly, deadly, overpopulated, with scarce water supply, yellow fever was killing thousands and tuberculosis was way more devastating than it is today. In addition, corruption in the police force meant absolute insecurity. With elections scheduled for 1886, the capital was at a tipping point in 1885. Liberals and conservatives fought tooth and nail for control of the polling stations. The maltas claimed every corner of the city and every street had its owner and its toll.

 These maltas controlled the streets of the districts that divided the city, selling protection to merchants and residents. This territorial domain attracted the attention of politicians. Capoeira became part of the political underworld by attacking oppositionists, buying and forging votes and by intimidating voters. In 1885 all the capoeiras of Rio were, in one way or another, involved in politics. The capoeiras lived to sell chaos and the politicians paid them well. Always in possession of straight razors, they lived ready for a fight. Their lifestyle was more important than their possessions. A good jacket, good shoe, and hat were enough for the bohemian capoeira fighter. Their connections to their malta meant they were part of a brotherhood where one defended the other, no matter the consequences. The capoeiras were not only the muscles of the politicians; they decided, in fact, the future of the Empire.

 The basic squad of capoeiras was called a malta: each formed by about 30 individuals who dominated parts of the city. In 1885, maltas were formed mostly by free men and slaves. All ethnicities and nationalities composed the maltas, but there were two opposing groups, mortal enemies by nature: the “Nagoas” and the “Guaiamus”. The “Nagoas” were associated with the political conservatives, linked to the African traditions and their members were predominantly freed blacks and slaves. White was their color of identification, using a silk scarf, as the blade of a straight razor cannot cut through silk, the “Nagoas” dominated the outskirts of the Old City: Lapa, Gloria and Campo de Santana. The “Guaiamus” were their rivals associated with the political liberals, they followed the tradition of the pardos and the whites and they were mostly immigrants. Their scarf’s color was red. They dominated the interior of the Old City: Santa Rita, São Domingos, Largo de São Francisco and Sacramento. Brazil had its third Emperor, but those who ruled the streets were the capoeiras.

ARCO DRAMÁTICO DA SÉRIE / SERIES DRAMA ARC:

[POR] 

Rio de Janeiro, meados de 1884. As ruas da capital do império estão em ebulição. As eleições serão em 1885, mas a disputa já começou. Como voto é censitário e aberto, controlar as ruas significa controlar o eleitorado. A freguesia da Glória está estabelecida em mãos conservadoras e os liberais correm para garantir freguesias no Centro. Em Sacramento, esbarram nas ambições políticas do jovem Marquês que, recém-promovido à liderança de sua malta, rompe o pacto do falecido Boca Larga com o líder liberal Lafayette Rodrigues. São José passa a ser a freguesia mais estratégica do império, mas para garantir os votos por ali é preciso lidar com o instável Chico Vagabundo, que abre um leilão por seu apoio.

Lafayette Rodrigues manda prender e torturar Marquês, mas o capoeira não cede. Antes de ser enviado ao exílio penal, o capoeira empreende uma fuga espetacular com a ajuda de sua malta. A fuga de Marquês e a iminente passagem de uma procissão com a visita do arcebispo de Lisboa elevam a pressão sobre o chefe de polícia Tito de Mattos.

A jovem Beatrice foi internada há poucos dias no Hospício Pedro II. Seus pais, ricos burgueses de fino trato, decidiram submeter a filha a um tratamento drástico para apagar de sua mente a paixão pelo capoeira Marquês, que a desvirginou e desgraçou a honra da família. Culpada por seus pecados, Beatrice rejeita ver o amante, mas Marquês não está disposto a perdê-la. Após insistir em visitá-la, Beatrice cede e os dois se reaproximam. Marquês quer tirá-la dali o quanto antes, mas ela está dividida.

Com a polícia no encalço, Marquês tenta acordo com Chico Vagabundo para estender a influência de sua malta até as ruas de São José. Chico rejeita o negócio, mas usa a proposta para barganhar junto a Benjamin e seu padrinho político e líder do partido conservador, o deputado Duque Estrada Teixeira.

Conservadores, liberais e independentes querem os votos da freguesia de São José. O jogo político está aberto e ambos os partidos têm chance de ganhar as eleições em meio à guerra travada pelos capoeiras Benjamin e Marquês. A data da tradicional procissão da Semana Santa se aproxima e, com ela, a perspectiva de um banho de sangue. A cúpula do governo, então, apela ao Príncipe Obá II, que articula uma trégua entre as maltas. O armistício termina quando o tresloucado Juca Reis abre a barriga de Chico Vagabundo durante uma discussão banal sobre os tamanhos de seus pênis. Chico morre eviscerado no centro da procissão, espatifando sobre o chão a imagem do santo padroeiro. O brutal assassinato choca a sociedade carioca. Pressionado, Tito de Matos ordena pressão total sobre as maltas, inibindo a circulação de capoeiras e sufocando seus ganhos.

Após começar uma guerra fratricida na corte, Juca Reis se esconde na famosa casa noturna Alcazar Lírico nos braços de Suzanne Castera, a cortesã mais famosa da cidade. Juca é preso pelos homens de Tito de Matos e processado pelo jovem promotor Sampaio Ferraz, mas acaba liberado. Durante o processo, Castera serve como álibi de Reis, mas a atração entre a cortesã e o jovem promotor é imediata.

A pressão da polícia causa prejuízos a todas as maltas, em especial a de Marquês, que insiste em evitar o assédio de políticos sobre seu grupo. Para compensar as perdas, Marquês e seus homens planejam o audacioso roubo de um carregamento de joias da Importadora Alvorada, de propriedade de Conde de São Salvador de Matosinhos, o riquíssimo pai de Juca Reis. Durante o assalto, porém, Marquês percebe que o carregamento contém apenas sapatos, e não jóias. Se a vida lhe joga limões, é preciso fazer limonada e servir ao povo como sinal de boa fé. Dotado de apurado senso político, Marquês distribui os sapatos entre os pobres, reforçando sua popularidade em Sacramento.

Alheia ao entrevero, a escrava Francisca vaga faminta e com uma pistola Colt na cintura pelas ruas hostis do Rio após fugir da fazenda onde cresceu. Ela circula pela cidade para vender itens de sua cesta, trabalho conquistado  graças à  rede de apoio a escravos fugidos coordenada por Mãe Cambina e Príncipe Obá II e patrocinada por Benjamin. Francisca conhece a alforriada Bernardina e as duas formam uma dupla enfrentando o cotidiano extenuante nas ruas hostis do Rio.

O assalto ao carregamento da Importadora Alvorada transmite à opinião pública a sensação de que a repressão da polícia sobre as maltas é ineficaz. O alto custo de manter tamanho efetivo nas ruas o tempo todo chega a níveis críticos. Logo, o gabinete liberal veta a operação comandada por Tito de Matos. As ruas estão novamente livres. Além de tentarem recuperar o tempo e os ganhos perdidos, Marquês, Benjamin e outros chefes de malta disputam veladamente o espólio de Chico Vagabundo. Em São José, a situação é caótica. Só existe uma unanimidade entre os capoeiras: é preciso matar Juca Reis.

Alheio ao sangue que está prestes a ser derramado nas ruas da corte, o inescrupuloso comerciante Nuno Ferreira chega ao Brasil para assumir o controle de um armazém de secos e molhados na Glória. Ele traz consigo a jovem esposa que conseguiu como pagamento de uma dívida, a bela Marie Turner. As dificuldades enfrentadas pelo negócio, a falta de dinheiro e a pressão da malta Flor-da-Gente pelo pagamento mensal trazem à tona o pior aspecto da personalidade de Nuno. Ele se revela um sujeito violento e misógino que comete verdadeiras atrocidades contra a esposa, descontando nela sua falta de coragem para enfrentar seus verdadeiros inimigos.

Após a resistência inicial, Beatrice cede aos apelos de Marquês e os encontros secretos entre eles se intensificam, assim como o novo tratamento a que ela será submetida. Beatrice passa a se consultar com um proeminente psiquiatra que estuda histeria feminina e tem uma teoria muito peculiar sobre o assunto. O especialista, um homem sórdido e sádico, estipula um tratamento experimental para limpar a mente à base de um coquetel de drogas e banhos frios que se revela desastroso, fazendo de Beatrice uma paciente distante e fora da realidade. Marquês percebe que terá que  correr contra o tempo se quiser salvar sua amada.

Mas não é só Marquês que está correndo contra o tempo. Cercado e com a cabeça a prêmio, Juca Reis foge para o terreiro de Mãe Inácia, onde sabe que capoeira algum terá coragem de matá-lo. Príncipe Obá II é chamado a intervir. Ele aciona o Conde de Matosinhos e troca a morte de Juca por generosas indenizações a todas as maltas. Indignado pelo prejuízo, o Conde de Matosinhos manda Juca para uma temporada fora do país.

As ruas do Rio de Janeiro são regidas pela corrupção. E esse estado de coisas faz muitas vítimas, como a escrava Bernardina, assassinada por policiais que tentavam extorqui-la. Francisca assiste a tudo. Mesmo com medo e raiva pela barbaridade que testemunhou, ela sabe que é a única chance de melhorar sua condição. Então, faz em sua própria pele as marcas que Bernardina trazia no corpo, rouba a carta de alforria da amiga e torna-se uma mulher livre. Sob a identidade de Bernardina, Francisca assume um emprego no armazém de Nuno Ferreira e se torna uma testemunha dos abusos sofridos por Marie Turner.

Os rumores na Glória dão conta de que Duque Estrada Teixeira, o Nhonhô da Glória, libertará três homens da malta liderada pelo finado Chico Vagabundo que foram presos no período de repressão do chefe de polícia Tito de Matos, estendendo seus tentáculos sobre São José. A ação dará a Benjamin superioridade de homens e território. Então, Marquês envia o Moleque Antônio Maria para a cadeia, onde mata dois dos homens de Chico Vagabundo e deixa o recado claro para o sobrevivente: São José não é de ninguém. Ainda...

Embora ainda desfrute de poder, o Nhonhô não é mais o mesmo. Desgostoso por ver seu prestígio em queda dentro do partido conservador, se apega ao ópio como tantos outros nas altas rodas da cidade. Ao sair do Alcazar Lírico ao amanhecer, se torna um alvo fácil de repórteres, fofoqueiros e capoeiras. Benjamin e sua malta resgatam-no e evitam danos à sua reputação, mas a situação lhes parece fora de controle.

Um território sem malta é um território à deriva. Desde que Chico Vagabundo foi assassinado, diversos delitos graves têm causado prejuízos aos negócios. Uma guerra furtiva toma conta das esquinas, com ataques cirúrgicos praticados por todas as maltas, em especial pelos guaiamus de Sacramento, que tentam evitar que São José caia em mãos nagoas. Benjamin percebe que precisa de mais homens para tomar o território de São José e, após se aconselhar com Mãe Inácia, faz uma viagem que pode virar a maré a seu favor.

Cansada dos abusos, Marie Turner ameaça fugir e Nuno reage. No calor da briga, Marie mata-o com um cutelo. Apavorada com a idéia de ser presa e deportada, entra em desespero. Francisca, calejada pela violência, decide ajudá-la e despacham o corpo do finado comerciante na freguesia de São José. Para todos os efeitos, ele foi vítima da guerra entre os capoeiras. As duas se tornam cúmplices.

Na paradisíaca região da Costa Verde fluminense, à beira-mar, está instalado um grande quilombo para onde alguns dos mais hábeis capoeiras se evadiram. É ali que Benjamin passa a semana, recomendado por Mãe Cambina e Príncipe Obá II, buscando arregimentar homens para sua malta. Na companhia de 15 dos melhores capoeiras do estado, Benjamin volta para o Rio. Ele decide dar um basta na guerra sobre as ruas de São José. Com mais de 30 homens à disposição, toma o território sem precisar sequer puxar a navalha. A volta de Duque Estrada e o partido conservador ao poder parece garantida.

Apesar de ter perdido a freguesia de São José para Benjamin, a dor que aflige Marquês é o estado de sua amada Beatrice. Nem a dureza da vida nas ruas lhe preparou para ver a imagem delicada de sua amada destroçada pelos maus tratos e pela angústia. Ao descobrir que a filha ainda tem encontros furtivos com o homem que a desgraçou, o pai de Beatrice exige atitudes ainda mais drásticas da direção da casa. Marquês, então, usa os recursos de sua malta e, numa ação ousada e violenta, tira a jovem do hospício.

À sua maneira, o pai de Beatrice quis salvar sua prole, algo que o Conde de Matosinhos também tentou. Foi em vão, pois Juca Reis está de volta ao Rio de Janeiro e o relacionamento com o pai está ainda pior. Matosinhos trava uma batalha com Duque Estrada, que asfixia suas atividades comerciais em represália às matérias contra ele no jornal O Paiz. Para Juca, está claro o que precisa fazer para provar valor ao pai: Duque Estrada deve morrer. Juca se aproxima de Marquês e propõe matar o padrinho político de Benjamin.

Preocupado com os rumos de sua malta e ávido pelo poder, Galego procura o líder liberal Lafayette Rodrigues e conta sobre o plano do assassinato. Se Marquês matar o Nhonhô da Glória, terá um poder dificilmente superável. A hora de tomar o poder em Sacramento é agora. Para patrocinar a árdua missão, Lafayette entrega 3 pistolas a Galego.

No armazém administrado a duras penas pela jovem viúva Marie Turner, Bernardina recebe a visita de Coruja para coletar o pagamento da semana. Ameaçada por não ter o dinheiro, Bernardina mete o revólver na cara de Coruja e o espanta. Marie, intrigada, propõe a Bernardina sociedade no armazém. À noite, no mesmo cortiço onde mora, Bernardina vê Coruja transar com outro homem. Coruja diz para Bernardina que ela deve ficar calada. Mesmo de forma heterodoxa, nasce um laço de cumplicidade entre os dois.

O moleque Antônio Maria, um dos homens de Sacramento mais próximos de Marquês, ganha confiança e caminha pelas ruas como se as possuísse. Numa incursão precipitada, flana por São José e acaba cercado por uma dezena de capoeiras da Flor-da-Gente. Valente e intempestivo, o Moleque desafia Benjamin a um duelo. Em segundos o nagoa vence a luta, saca a navalha e dilacera o tendão de Aquiles do promissor capoeira. As ruas de São José têm um dono e o nome dele é Benjamin.

Marquês mantém Beatrice sob cuidados no cortiço onde mora, em Sacramento. Debilitada pelo cruel tratamento, ela mal o reconhece. Marquês não desiste dela e, mesmo com toda a brutalidade de seu dia-a-dia, se esforça para trazê-la de volta. Ele acredita que, em algum lugar no olhar perdido de Beatrice, ainda se esconda a mulher que tanto amou. Mas talvez seja tarde demais.

É tarde da noite e o terreiro de Mãe Cambina está vazio. Um homem adentra, com seu chapéu de vaqueiro e uma Winchester 44. Ele se chama Antônio Sacerdote da Boa Morte e está atrás da escrava Francisca. Mãe Cambina, inalterada, joga búzios e ri de seu destino, dizendo-se pronta, segundos antes de Boa Morte atirar sem dó em sua cabeça.

Preocupado com a espiral decadente de Duque Estrada e buscando preservar a reputação que ainda resta a seu padrinho político, Benjamin faz um acordo secreto e lucrativo com Marie Turner. O armazém passa a servir de pouso para o Nhonhô da Glória fumar ópio em paz. Em troca, ela ganha proteção e fica livre de pagar qualquer taxa. Coruja é o encarregado de proteger o político e a amizade com Bernardina começa a se fortalecer.

A notícia da briga entre Benjamin e o moleque Antônio Maria corre à boca pequena nas freguesias da cidade e chega aos ouvidos de seu filho, José. O menino acreditava piamente que seu pai era apenas um sapateiro e o critica. Benjamin perde a calma e bate no filho. É a primeira vez que Benjamin sente sua mulher e seu filho olharem-no com medo. Ele busca apoio em Mãe Cambina, mas o terreiro está violado e o corpo de Cambina, jogado no chão. Benjamin espalha pelas ruas uma recompensa pela cabeça do autor do crime.

Marquês parte para matar o Nhonhô, acompanhado de Juca Reis, Zé Preto e alguns capoeiras. Mas quando chegam ao lugar apontado, vêem-se cercados por Galego e mais três dissidentes, todos armados. Mas Marquês revela sua perspicácia quando dois dos dissidentes viram suas armas na direção de Galego. Leais a Marquês, esses capoeiras fingiram-se traidores para sabotar o golpe. Agora, em vantagem numérica,  Marquês toma controle da situação e tortura brutalmente Galego até ele revelar que as armas e a ordem para a emboscada partiram de Lafayette Rodrigues.

Durante um agradável café com a família, Lafayette Rodrigues recebe uma caixa de presentes nas mãos: é a cabeça de Galego. Ao longe, Juca Reis levanta sua xícara de café, com um sorriso no rosto, propondo um brinde a Lafayette. Depois dessa demonstração de força e sadismo, Reis vai até o Alcazar Lírico para ver Suzanne, mas ela não quer mais vê-lo. Ela está comprometida com Ferraz. Alucinado, Juca saca sua navalha e retalha o rosto de Suzanne. A notícia de que a cortesã mais famosa da capital foi desfigurada corre a cidade.

Beatrice está recuperada, mas sua estada no cortiço é estranha. Ela não foi criada para viver naquele ambiente, e tampouco as pessoas dali se habituam a ter uma jovem branca rica passeando pelos imundos corredores. Para mantê-la segura, Marquês destacou dois capoeiras que lhe servem de guarda durante todo o dia. Assim, ela passa a maior parte dos dias no cômodo, esperando por Marquês, assistindo à vida da janela do sobrado.

O perigoso matador Antônio Sacerdote da Boa Morte sabe que está sendo caçado pelo assassinato da influente Mãe Cambina. Sua cabeça está a prêmio e o temido Benjamin não terá piedade de sua alma se puser as mãos nele. Mas Boa Morte é uma máquina de matar e nada vai ficar em seu caminho até capturar a escrava Francisca. Após muito rodar pela cidade, ele encurrala sua vítima, mas Marie os surpreende com um golpe na cabeça do caçador, que cai inconsciente. As duas arrastam o corpo  e amarram-no no porão.

Benjamin recebe um duro golpe ao perceber que sua esposa e filho fugiram. Revoltado, surra o padre da Igreja de São José até que ele confessa ter mandado os dois para um sanatório da Igreja, em Minas Gerais. É como uma facada no peito. A cidade, as ruas, todas suas conquistas agora pouco importam. Benjamin perdeu o que mais amava e está só.

Lafayette Rodrigues está revoltado com as ações de Juca Reis, mas Tito de Matos alega que influência e o poder econômico do Conde de Matosinhos deixam a polícia de mãos atadas. O moleque Antônio Maria entra claudicante e interrompe a conversa, anunciando que Marquês deseja se entregar, mas a condição é que o faça numa conversa em particular com Lafayette. Marquês vai ao gabinete de Lafayette Rodrigues e insinua que sua rendição definirá as eleições do ano seguinte em favor dos conservadores. Lafayette não hesita em dar a Marquês um indulto, através da assinatura de um Termo de Bem Viver. Os dois têm um acordo.

Lafayette visita Suzanne Castera, que se recupera das navalhadas de Juca. O político quer algo que possa usar contra o facínora. Suzanne, com medo, se nega a depor contra Juca Reis, mas diz que Lafayette pode atingi-lo através daquilo que ele mais ama: sua mãe, que regressa após longo período fora do país, uma mãe que o próprio Conde de Matosinho, agora casado com uma jovem, preferia que não existisse. Juca Reis tem uma relação, no mínimo, estranha com a genitora. Tão estranha, afirma Castera, que costumava chamá-la pelo apelido da mãe quando dormiam juntos.

Duque Estrada está cada vez mais perdido em sua espiral de ópio e depressão. Uma noite, perde o controle e tem uma overdose no armazém. Coruja, Marie e Bernardina tentam ajudá-lo, mas é em vão. O Nhonhô está morto. No dia seguinte, a notícia da morte de um dos políticos mais influentes da cidade explode nos jornais.

Raposas da política não perdem tempo e vão atrás de Benjamin, buscando patrocinar sua malta e obterem influência política nos estratégicos territórios de São José e da Glória. Mas Benjamin repele qualquer negociação. A partir de agora, só responderá a ele mesmo.

Beatrice descobre que está grávida. O medo do futuro e a fragilidade de sua condição fazem-na repelir Marquês. Seu amor é grande, mas Beatrice não sabe se é capaz de dar à luz um filho no mundo cão que vê ao seu redor. Em desespero, Beatrice tenta visitar sua família, mas Marquês a proíbe. Ela está cada dia mais desiludida. Com o mundo caindo sobre seus ombros, Marquês falha em lhe amparar. O que quer que os dois tenham sentido um dia se perdeu na violência e na loucura do dia-a-dia.

A morte de Duque Estrada e as negativas de Benjamin em negociar com políticos abalam a confiança de alguns capoeiras da Flor-da-Gente. Cinco desertores fecham acordo com Marquês para que ele assuma alguns pontos da freguesia de São José. Depois de tomar os pontos, Marquês mata os desertores. Em sua malta não há espaço para traidores.

Benjamin descobre que Marquês vem tomando território na freguesia de São José e pressente que um ataque direto dos guaiamus de Sacramento é eminente. Para proteger o futuro de sua família, ele reúne um punhado de ouro, uma foto da família e algumas navalhas e adagas novas e enterra tudo num ponto ermo da cidade. Benjamin descreve o local numa carta cifrada e ordena que o padre envie para Rosa.

A morte do Nhonhô cancela o acordo de Marie e Francisca com Benjamin e traz prejuízos aos negócios. Mas o nicho de mercado é lucrativo e elas decidem investir em transformar definitivamente o armazém num lugar discreto para a elite da Glória consumir drogas. O único problema é que precisam de ópio. Para isso contam com a ajuda de Coruja, conhecedor da fauna que circula no porto do Rio. Depois de uma produtiva rodada de negócios junto a marinheiros chineses no porto, Marie e Bernardina voltam para casa e deparam com a porta do porão aberta e se dão conta do pior: Boa Morte fugiu.

Juca Reis espera ansiosamente o desembarque de um navio português. Sua mãe está de volta depois de 5 longos anos. De repente, dois homens fortes imobilizam Juca. Dona Maria desce do navio com um sorriso no rosto e uma estola de visom clara em volta de seu pescoço. Um homem a esfaqueia repetidas vezes no pescoço. Juca é obrigado a olhar a cena. De longe, Lafayette Rodrigues observa.

Marquês prepara seu plano mais ambicioso. É um ataque simultâneo e furtivo nas ruas da Glória. Seus homens precisarão caminhar sozinhos e fazerem o possível para não serem vistos. Qualquer erro pode chamar a atenção da Flor-da-Gente e provocar um massacre sobre os homens de Marquês. Mas o plano brilhantemente articulado por Marquês é bem sucedido. Na calada da noite, os capoeiras de Sacramento cortam as gargantas dos principais membros da Flor-da-Gente, incluindo o escravo Salustiano.

Beatrice foge do cortiço e de seus vigias. Ela vai até a casa de seus pais, mas é escorraçada por trazer a notícia de sua gravidez. Derrotada, volta para o cortiço. Não há mais saída para ela. Uma antiga navalha jaz no fundo de uma gaveta. É a bela navalha que Marquês ganhou de Boca Larga, seu falecido mentor. Com essa lâmina, Beatrice corta os pulsos.

Sozinho em sua casa, Benjamin pressente que algo paira no ar. Desolado, senta-se à frente do cravo e toca a música que seu filho tentava lhe ensinar. Ao som da Fuga de Bach, a polícia invade a casa. É o fim. Apenas Benjamin, preso, e Coruja, afundado no desgosto e no ópio, se salvaram. A Flor-da-Gente foi destruída.

Marquês passa a ser o capoeira mais poderoso da cidade, controlando as freguesias de Sacramento, São José e Glória, mas perde Beatrice. Políticos do partido liberal mandam recado, querem conversar com o todo-poderoso Marquês. Em breve, imagina ele, terá tudo que deseja. Ao amanhecer, fitas vermelhas balançam nos postes e anunciam que as ruas agora pertencem aos guaiamus. As calçadas ainda estão manchadas pela noite dos degolados. Sobre a cama de Marquês, o corpo de Beatrice jaz sem vida, enquanto seu sangue escorre pelo lençol branco.

[ENG]

Rio de Janeiro, mid 1885. The streets of the empire's capital are effervescent. The elections are scheduled for 1886, but the political dispute has already begun. As voting is an open and class-based system, those who control the streets also control the constituency. The district of Gloria is firmly held in conservative hands and the liberals run to secure districts in downtown Rio. In Sacramento, they run into the political ambitions of the young Marquis who was recently appointed the leader of his malta and broke the pact of the late Boca Larga with their liberal representative Lafayette Rodrigues. São José happens to be the most strategic district of the empire, but to win their votes one has to deal with the unstable Chico Vagabundo and buy his support through an auction.

Lafayette Rodrigues orders the arrest and torture of Marquis, but the capoeira does not quit on their brothers. Before being sent to prison, he escapes spectacularly with the help of his malta. Marquis' escape and the imminent visit of the archbishop of Lisbon during the Holy Week procession pressures the chief of police Tito de Mattos.

The young Beatrice was hospitalized a few days ago in the Hospice Pedro II. Her wealthy bourgeois parents decided to subject their daughter to a drastic treatment to clear her mind from the passion she feels for the capoeira Marquis, who took her virginity and her family's honor. Feeling guilty for her sins, Beatrice refuses to see her lover, but Marquis is unwilling to lose her. After insisting to visit her, Beatrice gives in and the two reconnect. Marquis wants to get her out of there as soon as possible, but she's divided.

With the police on the prowl, Marquis tries to reach an agreement with Chico Vagabundo and extend the influence of his malta to the streets of São José. Chico rejects the deal, but uses it to bargain with Benjamin and his political godfather a conservative party leader, the congressman Duke Estrada.

Conservatives, liberals and independents want the votes of the district of São José. The political game is open and both parties have a chance to win the elections in the midst of the war waged by the capoeiras Benjamin and Marquis. The date of the traditional Holy Week procession is approaching and with it the prospect of a bloodbath. The government summit asks for the help of Prince Obá II, who articulates a truce between the maltas. The truce ends when the rogue Juca Reis cuts open Chico Vagabundo's belly over a silly matter. Chico dies eviscerated in the middle of the procession, dropping and shattering the image of the patron saint. The brutal murder shocks Rio. Tito de Matos orders a total suppression of the maltas, inhibiting the circulation of the capoeiras and strangling their monetary gains.

After starting a fratricidal war, Juca Reis hides in the arms of Suzanne Castera, the city's most famous courtesan, at the famous Alcazar Lírico nightclub. Juca is later arrested by the men of Tito de Mattos and sued by the young district attorney Sampaio Ferraz, but is released shortly after. During the process, Castera serves as an alibi for Juca, but the chemistry between the courtesan and the young attorney is immediate.

The police threat all maltas, especially that of Marquis, who insists on avoiding harassment of politicians in their fight for power. To compensate for their losses, Marquis and his men plan the audacious theft of a jewelry shipment from “Sunrise Importers”, owned by the Count of Matosinhos, the wealthy father of Juca Reis. During the heist, however, Marquis realizes that the shipment consists of shoes, not jewelry. If life throws you lemons, make it a lemonade and serve it to the people as a sign of good faith. With a keen political sense, Marquis distributes the stolen shoes among the poor, which helps reinforce his popularity in the district of Sacramento.

Unaware of this episode, the slave Francisca roams the hostile streets of Rio, hungry and with a Colt pistol on her waist, after escaping the farm where she grew up. She circulates around the city to sell items from her basket, a job she got thanks to the network that supports fleeing slaves, led by Mother Cambina and Prince Obá II and sponsored by Benjamin. Francisca meets Bernardina and together they face the strenuous daily life.

The heist at “Sunrise Importers” conveys to the public the feeling that police repression on maltas is ineffective. The high cost of maintaining a big team of officers on the streets reaches critical levels. Soon, the liberal cabinet vetoes the operation commanded by Tito de Mattos. The streets are free from the police again. In addition to trying to make up for lost time and loot, Marquis, Benjamin and other malta bosses secretly fight over the estate of Chico Vagabundo. In São José, the situation is chaotic. The capoeiras agree about one thing: Juca Reis must die.

Unaware of the blood that is about to run on the streets, the unscrupulous trader Nuno Ferreira arrives in Brazil to take control of a grocery store in Gloria. He brings with him a young wife, the beautiful Marie Turner, who he’s got as payment of a debt. The difficulties faced by the business, the lack of money and the pressure to pay “Flor da da Gente” malta for protection, brings up the worse in Nuno's personality. His violent and misogynist side commits atrocities against his own wife, for he lacks the courage to face his true enemies.

As Beatrice gives in to Marquis' appeals, their secret meetings intensify, as well as her new psychiatric treatment. Her doctor is a prominent psychiatrist who studies feminine hysteria and has a very peculiar theory on the subject. The specialist, a sordid and sadistic man, determines she undergoes an experimental treatment to clear her mind based on a cocktail of drugs and cold baths that turns out to be disastrous, making Beatrice disconnect with reality. Marquis will have to run if he wants to save his beloved.

But it is not only Marquis who is running against time. Surrounded and with a bounty on his head, Juca Reis flees to the terreiro of Mother Inacia, where he knows no capoeira will harm him. Prince Obá II is called upon to intervene. He calls the Count of Matosinhos and barters Juca's life for the indemnities of all maltas. Outraged by the loss, the Count of Matosinhos sends Juca for a season abroad.

The streets of Rio de Janeiro are ruled by corruption. And this state of affairs makes many victims, like the slave Bernardina, killed by policemen who tried to extort her. Francisca watches everything. Feeling fearful and angry at the barbarity she witnessed, she knows that this is the only chance to improve her status. Then she marks her skin with the signs Bernardina carried on her body, steals her friend's liberation card, and becomes a free woman. As Bernardina, Francisca gets a job at Nuno Ferreira’s store and witnesses the abuses that Marie Turner endures.

Rumors in Gloria say that Duke Estrada, known as “Nhonho da Gloria”, will free 3 men from the malta led by the late Chico Vagabundo arrested during the period of repression enforced by the chief of police Tito de Mattos. With that “Nhonho” will grow his power in São José. This will give Benjamin more men and territory. Marquis sends Moleque Antonio Maria to jail, where he kills two of Chico Vagabundo's men leaving the message that São José belongs to no one yet.

While he still enjoys some power, the “Nhonho” is no longer the same. Disgusted to see his prestige fall in the wrong hands, he clings to opium like so many others of high-society. Leaving the Alcazar Lírico at dawn, he becomes an easy target for reporters, gossipers and capoeiras. Benjamin and his malta rescue him and avoid damaging his reputation.

A territory without a malta is a lawless one. Since Chico Vagabundo was murdered, several serious crimes have caused damages to the businesses in São José. A war takes over the street corners, attacked by all maltas, especially the “Guaiamus of Sacramento”, São José will not fall into “Nagoa’s” hands. Benjamin realizes that he needs more men to take this district and, after counseling with Mother Inacia, takes a trip that can turn the tides in his favor.

Tired of being abused, Marie Turner tries to leave, but Nuno reacts. In the heat of the fight, Marie kills him with a cleaver. Terrified by the idea of being arrested and deported, she despairs. Bernardina, hardened by violence, helps her to get rid of the body around the neighborhood of São José making it look like Nuno was a victim of the turf war. The two women become accomplices.

At the paradisiacal region of the Costa Verde Fluminense, by the seashore, is a large quilombo, a hinterland settlement founded by people of African origin, where some of the most skillful capoeiras escaped to. Benjamin recruits new men for his malta and in the company of 15 of the best capoeiras, Benjamin returns to Rio decided to stop the war in the streets of São José. Now, with a larger army at his disposal, he takes the territory without having to use his straight razor. The return of Duke Estrada and the conservative party to power now seems guaranteed.

Although he lost the district of São José to Benjamin, what hurts Marquis is the condition of his beloved Beatrice. Not even the hardships of the street life prepared him to see the frail image of his love being torn by torment and anguish. After finding out that his daughter still has furtive encounters with Marquis, Beatrice's father demands even more drastic measures from the institution. Marquis, then uses the resources of his malta to get her out of the hospice.

In his own way, Beatrice's father wanted to save his offspring, which is something similar to what the Count of Matosinhos did, but all was in vain, because Juca Reis is now back in Rio and his relationship with his father is worse than ever. Matosinhos wages a battle against Duke Estrada, who suffocates the count's commercial activities in reprisal against the stories written about the Duke in the newspaper "O Paiz”. It is clear for Juca what he needs to do to prove his father's worth: Duke Estrada must die. He approaches Marquis and proposes to kill Benjamin's political godfather.

Concerned about the destiny of his malta and greedy for power, Galego looks for the liberal leader Lafayette Rodrigues and tells him about the plan of assassination. If Marquis kills the “Nhonhô da Gloria”, his power will be immense. The time to take Sacramento is now. In order to sponsor the arduous mission, Lafayette delivers 3 pistols to Galego.

At the grocery store, Marie Turner and Bernardina receive the visit of Coruja to collect the weekly protection payment. Threatened by not having the money, Bernardina points the gun to Owl and scares him away. Intrigued, Marie proposes the two become associates at the warehouse. At night, in the same tenement where she lives, Bernardina sees Coruja having sex with another man. Coruja advises Bernardina to keep quiet. A bond of complicity is formed between the two.

Moleque Antonio Maria, one of Marquis top men, gets cocky and roams streets as if he owns them. Upon walking through São José he ends up surrounded by a dozen capoeiras of the “Flor-da-Gente” malta. Bravely enough, Moleque challenges Benjamin to a duel. In seconds Benjamin wins the fight and slashes Moleque's achilles tendon, ruining the dreams of the promising capoeira. The streets of São José have a new leader and his name is Benjamin.

Marquis keeps Beatrice under his care in the tenement where he lives in Sacramento. Weakened by the cruel treatment at the hospice, she barely recognizes him. Marquis does not give up on her, and even with all the brutality of his day-to-day life he struggles to bring her back mentally. He believes that, somewhere in Beatrice's lost gaze, is the woman he loves, but it maybe too late.

It's late and Mother Cambina's terreiro is empty. A man walks in, in his cowboy hat with a Winchester 44 at hand. He is called Boa Morte and is after the slave Francisca. Mother Cambina, unaltered, laughs at her own fate telling him “I’m ready” and Boa Morte shoots her in the head.

Worried about the decadent spiral of Duke Estrada and trying to preserve what is left of his political godfather's reputation, Benjamin makes a secret and lucrative deal with Marie Turner. The store is now an opium den for the politician. In return, she gains free protection. Coruja is in charge of looking after the politician and his friendship with Bernardina strengthens.

The news of the fight between Benjamin and Moleque Antonio Maria runs around the cities many districts and reaches the ears of Benjamin's son, José. The boy believed that his father was only a shoemaker and confronts him. Benjamin loses his temper and hits his son. He seeks the guidance of Mother Cambina, but the terreiro was violated and Cambina's body lies dead on the sacred ground. Benjamin puts a bounty on the head of whoever was the perpetrator.

Marquis is determined to kill the “Nhonhô”, accompanied by Juca Reis, Zé Preto and some capoeiras, but when they arrive, Galego and 3 well armed dissidents, ambush them. Marquis’ acumen turns 2 of the 3 dissidents against Galego. Loyal to Marquis, these capoeiras pretended to be become traitors in order to sabotage the coup. Now, in greater numbers, Marquis tortures Galego until he reveals that the guns and the ambush were ordered by Lafayette Rodrigues.

At a tea time with the family, Lafayette Rodrigues receives a gift box with Galego’s head. At a distance, Juca Reis raises his coffee cup, with a smile on his face, toasting to Lafayette. Juca then goes to the Alcazar Lírico to see Suzanne, but the courtesan is now committed to the district attorney Ferraz. Furious, he pulls out his straight razor and cuts Suzanne's face.

Beatrice recovers, but her stay in the tenement is unsettling. She was not brought up to live like that, nor is the people at ease by having a rich girl strolling through the filthy corridors. To keep her safe, Marquis asked two capoeiras to be her watchmen 24/7, so she spends most of her days in her room, waiting for the Marquis, watching life through the window of the shack.

The dangerous slave catcher Boa Morte learns that he is being hunted for the murder of the influential Mother Cambina. There is a bounty on his head and Benjamin will not pity his soul if he finds him. However, Boa Morte is a killing machine and nothing will stand in his way to catch Francisca, who now lives Bernardina’s life. After much looking through the city, he corners his victim, but Marie surprises the killer with a blunt blow to the head, rendering him unconscious.

Benjamin gets a hard blow when he realizes that his wife and son have left him. Furious, he beats up the priest of the Church of São José until he confesses to having sent them both to a sanatorium of the Christian Church in Minas Gerais. This feels like a stab to the chest. The city, the streets, all his achievements do not matter now. Benjamin lost those he loved the most.

Lafayette Rodrigues is revolted by the actions of Juca Reis, but Tito de Mattos claims that the influence and economic power of the Count of Matosinhos leaves the police with their hands tied. Moleque Antônio Maria walks in with a limp interrupting the conversation and announcing that Marquis will surrender, but the condition is that he does it during a private conversation with Lafayette. Marquis visits Lafayette Rodrigues’ office and insinuates that his surrender will set the following year's elections in favor of the conservatives. Lafayette does not hesitate to give Marquis his pardon in writing. The two have an agreement.

Lafayette visits Suzanne Castera, who is recovering from Juca's attack. The politician wants something he can use against that mad dog. Suzanne, in fear, refuses to testify against Juca, but says that Lafayette can hurt him through what he loves most: his mother, who returns to Brazil after a long period out of the country. Conde de Matosinho himself, now married to a younger woman, hates Juca's mother with whom Juca has a bizarre relationship with. So much to say that Suzane allowed him to call her by his mother's nickname when they were fucking.

Duke Estrada is growing increasingly lost in his own spiral of opium and depression. One night, he loses control and has an overdose while smoking in the warehouse. Coruja, Marie and Bernardina try to help him, but the “Nhonhô” is dead. The next day, the news of the death of one of the city's most influential politicians floods the newspapers.

The foxes in politics do not waste any time and go after Benjamin, seeking to sponsor their malta and gain political influence in the strategic territories of São José and Gloria, but Benjamin repels any negotiation. From now on, he is his own master.

Beatrice finds out that she is pregnant. The fragility of her condition and the uncertainty of her fate make her avoid Marquis. Her love is great, but Beatrice does not know if she is capable of giving birth to a child in this dog eat dog world they live in. In despair, Beatrice tries to visit her family, but Marquis forbids her. She grows more and more disillusioned. With her world falling apart, Marquis fails to protect her. Whatever they felt for one another was lost in the violence and madness of everyday life.

The death of Duke Estrada and Benjamin's refusal to negotiate with politicians undermine the confidence of some of the “Flor-da-Gente” people. Five deserters bond with Marquis to control parts of the São José district. After taking over, Marquis kills the deserters for there is no room for traitors in his malta.

Benjamin learns that Marquis is in control of São José and believes an attack from the “Guaiamus of Sacramento” is eminent. To protect his family's future he stashes a handful of gold, a picture of his family, some new straight razors and daggers and buries everything in the outskirts of the city. Benjamin describes the secret place in a letter and orders the priest to send it to Rosa.

The death of “Nhonhô” cancels the agreement of Marie and Bernardina with Benjamin hurting their businesses, but turning their store into an opium den is lucrative and they decide to invest in finally transforming the place into a discreet den for the Gloria elite to use the drugs. The only problem is they need opium. For this they have the help of Coruja, who knows the creatures that walk on the docks of Rio. After a productive business transaction with Chinese seamen, Marie and Bernardina return home only to find the basement door open and no sign of Boa Morte.

Juca Reis eagerly awaits the arrival of a Portuguese ship. His mother is back after 5 long years in Europe. Suddenly, two strong men immobilize Juca. Dona Maria, his mother, leaves the ship with a smile on her face and a bright mink stole around her neck. Another man stabs her repeatedly on the neck. Juca is forced to watch the scene unfold. From a distance, Lafayette Rodrigues observes.

Marquis prepares his most ambitious plan. It is a coordinated and stealthy attack on the streets of Gloria. His men will have to walk alone and do their best to remain unnoticed. Any mistake can raise a flag for the “Flor-da-Gente” malta which results in a massacre of Marquis' men. However, Marquis articulates the plan brilliantly and is successful. In the dead of night, the capoeiras of Sacramento cut the throats of the main members of the “Flor-da-Gente” malta.

Beatrice flees from the tenement and her watchmen. She goes to her parents' house, but is humiliated for bringing the news of her pregnancy. Devastated, she returns to the tenement. There is no way out for her. An old straight razor lies in the bottom of a drawer. It is the beautiful knife that Marquis won from Boca Larga, his late mentor. With the blade she slashes her wrists.

Alone in his house, Benjamin senses something odd in the air. Desolate, he sits down in front of the harpsichord and plays the music his son tried to teach him. At the sound of Bach's fugue, the police invade the house. This will be the end for the “Flor-da-Gente” malta. Only Benjamin, who was imprisoned and Owl, who sunk in grief and opium, are left alive.

Marquis becomes the strongest capoeira of the city, winning the control of the districts of Sacramento, São José and Gloria. However, he loses Beatrice. Politicians of the liberal party deliver a message to him - they want to speak to the almighty Marquis. He believes he'll have everything he wants soon enough. At dawn, red ribbons sway on the poles and announce that the streets now belong to the “Guaiamus”. The sidewalks are still tainted by the blood of the massacre. On Marquis' bed, Beatrice's body lies lifeless as her blood runs down the white sheets they shared.

DESCRIÇÃO DOS PERSONAGENS / CHARACTERS DESCRIPTION:

MARQUES - MARQUIS

27 anos / 27 years old

[POR] 

Pardo, bonito, mulherengo, é filho de uma escrava alforriada e de pai desconhecido. A lenda que lhe conferiu o apelido reza que seu pai é um fidalgo, mas sua mãe morreu com esse segredo. Nas ruas de Sacramento, é adorado pelos populares, mas os capoeiras o vêem com ressalvas.

[ENG]

Brown skin, handsome, womanizer, he is the son of a freed slave and an unknown father. The legend that gave him the nickname says that his father is a nobleman, but his mother died with that secret. In the streets of Sacramento, he is adored by the popular, but capoeiras see him with reservations.

BENJAMIM

32 anos / 32 years old

[POR] 

Negro livre, é talvez um dos melhores capoeiras que a capital já conheceu. Chefe da malta Nagoa Flor-da-Gente, na freguesia da Glória, ex-aluno do lendário capoeira Manduca da Praia, é protegido de Duque-Estrada Teixeira, um dos mais importantes políticos conservadores, para quem faz o serviço sujo.

[ENG]

A free Negro, he is perhaps one of the best capoeiras the capital has ever known. Chief of the crew Nagoa Flor-da-Gente, in the parish of Glória, a former student of the legendary capoeira Manduca da Praia, is protected by Duque-Estrada Teixeira, one of the most important conservative politicians, for whom he does his dirty work.

BEATRICE

19 anos / 19 years old

[POR]

É filha única de uma rica família de burgueses católicos. Uma jovem sensível e determinada a viver grandes aventuras, mas formada para casar com alguém escolhido para expandir ainda mais a fortuna da família. Sua vida lhe parece enfadonha até que ela conhece Marquês e se deixa levar por uma paixão que levará a desgraça.

[ENG]

Is the only daughter of a bourgeois Catholic family. A sensitive young woman determined to live great adventures, but she’s expected to marry a man who can further expand the family's fortune. Her life bores her until she meets Marquis and indulges him in a rapturous passion that will lead to her undoing.

JUCA REIS

31 anos / 31 years old

[POR]

É um cachorro louco incontrolável que só não está atrás das grades graças ao prestígio de seu pai, o rico e respeitado Conde de São Salvador de Matosinhos, com quem vive em conflito. Bonito, rico, português e escravista, Juca tinha tudo para frequentar os salões da Corte como um representante da fina nata lusitana, mas prefere se esgueirar pelo submundo da cidade, onde pode usar sua navalha para retalhar aqueles que o contrariam.

[ENG]

Is a mad dog who is not yet behind bars thanks to the prestige of his father, the noble Count of Matosinhos, with whom he lives in constant conflict. Handsome, rich, a Portuguese slave owner, Juca has a free pass to the halls of the prestigious Imperial Court of Brazil, but prefers to crawl in the city’s underworld, where he uses a straight razor to slash those who oppose him.

MARIE TURNER

24 anos / 24 years old

[POR]

De origem européia, viu-se obrigada a casar com Nuno Ferreira por conta de uma dívida de seu pai. Deixou pra trás uma vida miserável e tem esperanças de que seu recomeço no exótico e distante Brasil seja melhor, no entanto, seu casamento com Nuno é algo muito pior. Seu marido é um tipo violento que abusa dela de todas as formas possíveis.

[ENG]

Of European origin, was forced to marry Nuno Ferreira because of a debt to her father. She had left a miserable life behind in the hopes that the exotic and distant Brazil holds good promises, however, her marriage to Nuno is something much worse. Her husband is a violent type who abuses her in every possible way.

SAMPAIO FERRAZ

28 anos / 28 years old

[POR]

Tornou-se o promotor mais novo da corte aos 24 anos. Agora, aos 28 anos, já é conhecido e respeitado nos tribunais do Império. Sampaio tomou para si a missão de varrer as maltas das ruas da Corte. Racista, sádico com seus escravos, inflexível e ambicioso, é uma figura que não se intimida e luta na linha de frente, seja contra as maltas de capoeira, seja contra os monarquistas.

[ENG]

Became the court's youngest DA. Now, at age 28, he is well known and respected at the Empire’s courts. Sampaio took on the task of clearing the streets off the maltas. A racist, sadistic with his slaves, inflexible and ambitious, he is never intimidated to fight on the front line, whether against the capoeira maltas or the monarchists.

Please reload

CONTATO | CONTACT:

Carlos de Andrade |  carlos@visomdigital.com.br +55 21 9 9432-4860